Zoe Buckman é a designer responsável pela exposição de arte Every Curve, que apresenta peças delicadas de lingerie bordadas com frases de famosas músicas de rap. Exibida no museu Papillion Art em Los Angeles, as peças são femininas e de seda, criando um contraste com a dureza das letras das músicas dos anos 90 dos rappers Tupac e Biggie, criando uma justaposição entre as energias masculina e feminina.

A exibição foca apenas em roupas íntimas vintage, com cinta liga e meias 7/8. As peças são simples e a própria designer bordou as frases. A suavidade das lingeries, algo íntimo, e a intensidade das músicas escolhidas chamam a atenção dos espectadores para desconstruir a feminilidade, assim como o corpo.

http://www.papillionart.com/

lingerie lingerie2 lingerie4

Compartilhe:

    1

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Em fevereiro do ano passado, a preocupação com a moda fez com que um grupo de profissionais da área se reunissem para pensar sobre o seu futuro. Renata Abranchs, do Rio Etc e Bureau de Estilo, Ana Wambier e Daniela Sabbag, da Wasabi, Daniela Frazão, da Casa XX, o apresentador e estilista Caio Braz e o fotógrafo Raul Aragão, fundaram o espaço Malha. Destinado para estilistas, jornalistas, fotógrafos, stylists, artistas, designers, empreendedores e consumidores, o espaço servirá como plataforma para os profissionais trabalharem com uma moda focada em movimentos contemporâneos, no comércio justo, na produção local, na economia colaborativa, na sustentabilidade e na tecnologia.

    Com o lema “o justo é o novo preto”, a Malha é o primeiro projeto de uma Fashion Lab no Brasil e está localizada em São Cristóvão, coração da moda carioca e polo nacional de produção e grandes marcas. O galpão de 1.800m² vai reunir escritórios de marcas, estilistas e criadores, maquinário completo para produção, laboratório de inovação, escola, showroom, praça interna, estúdio fotográfico e café. O projeto é uma iniciativa de Herman Bessler, fundador e CEO do Templo, o primeiro espaço de coworking criativo do Rio, e André Carvalhal, escritor, professor e gerente de marketing da FARM.

    Além dos escritórios e pontos compartilhados para trabalhadores individuais, a Malha também vai oferecer cursos, palestras, workshops e showrooms voltados à área de Estilo e Negócios de Moda. A ideia é que as pessoas compartilhem propósitos, ideias, ferramentas, conhecimento e façam conexões.

    Espaço Malha
    Rua Conde de Leopoldina, 644 – São Cristóvão
    Rio de Janeiro, RJ
    Telefone: 21 3988 3544

    Compartilhe:

       

      h-and-m-conscious-exclusive-partywear-2

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

      De 07 de Abril a 14 de Agosto deste ano, o museu Les Arts Décoratifs, em Paris, irá exibir uma exposição histórica sobre os 300 anos da moda. A exposição Fashion Foward – Three Centuries of Fashion, que mostrará a evolução da moda nos últimos 300 anos (1715 – 2015), inspirou a H&M a revelar a sua nova linha 2016: Conscious Exclusive Collection.

      Os estilistas da marca se inspiraram em modelos de vestidos, saias, vestidos de bailes, entre outros. As peças foram confeccionadas obedecendo às regras do desenvolvimento sustentável e com materiais que respeitam o meio ambiente, como a seda biológica, o linho reciclado, o cânhamo ou ainda o Denimite, um material criado a partir do jeans reciclado. A coleção, que também tem três diferentes modelos de vestidos de casamento, estará disponível para venda a partir de 7 de abril, em cerca de 180 lojas da marca em todo o mundo.

      A marca sueca foi nomeada líder no uso de algodão biológico em 2010, 2011 e 2013, ficando em segundo lugar em 2012. Entre 2011 e 2013, a H&M investiu 2 milhões de euros no Fast Track Program do BCI, para formar seus agricultores com o ensino necessário para o cultivo de algodão. No início de 2014, a marca lançou seus primeiros produtos feitos com algodão reciclado, feitos por fibras têxteis de peças usadas retornadas às lojas pelos consumidores e clientes. Com isso, a H&M se tornou a primeira empresa do mundo a lançar um projeto de captação global de roupas usadas, com o intuito de fechar o ciclo de produção têxtil.

      Compartilhe:

        Dando continuidade ao post sobre as Exposições de Moda que estão acontecendo pelo mundo, se o seu destino para as férias é a cidade de Nova Iorque não deixe de conferir essas exibições:

        NOVA IORQUE

        MET – The Metropolitan Museum of Art – está atualmente com duas mostras que tem como tema a Moda. Ingresso: US$ 25,00.

        A exibição do Costume Institute “Jacqueline de Ribes: The Art of Style” vai até 21 de fevereiro de 2016 e conta a história de estilo da Condessa Jacqueline de Ribes, considerada uma das mulheres mais bem vestidas do mundo no século XX.

        JDR_webassets_PosterImage

        Fashion and Virtue: Textile Patterns and the Print Revolution, 1520-1620” conta cem anos de história das estampas no período Renascentista.

        FashionAndVirtue_webassets_PosterImage

        Denim: Fashion’s Frontier” conta no The Museum at FIT a história multifacetada do denim e sua relação com a moda. Até 7 de maio de 2016.

        Denim_Fashion-s_Frontier-2006.55.1-375

        Compartilhe:

          O fim do ano se aproxima e com ele chega um período de descanso para muitos. Para aqueles que aproveitarão o período para viajar, selecionamos algumas exposições para quem ama a cultura fashion. Neste primeiro post os destaques de Paris e Londres.

          PARIS

          “Volez Vogues Voyages”. A exibição refaz no Grand Palais até 21 de fevereiro de 2016 a jornada da Louis Vuitton desde 1854 até os tempos atuais. Entrada franca.

          vuitton2_-_copie_1

          “La Mode Retrouvée”. O Palais Galliera abriga até 20 de março de 2013 a exposição que mostra o guarda roupa da Condessa Greffulhe, ícone fashion de sua época foi musa inspiradora de Marcel Proust e de grandes costureiros da Belle Epoque. Ingresso: 8 euros.

          otto_visuel_affiche_retrouche_1

          LONDRES

          O Victoria and Albert Museum, além de sua coleção permanente de moda, conta com duas exposições de temática fashion.

          The Fabric of India”  conta até 10 de janeiro de 2016 a história dos tecidos indianos desde o século III. Ingressos: 14 libras.

          FOI_Web-Banner_AW2-1

          A outra exposição abrigada no museu é “Shoes: Pleasure and Pain” que vai até 31 de janeiro de 2016 e apresenta cerca de 200 pares de sapatos do Egito antigo aos designs modernos mais elaborados. Ingressos: 12 libras.

          Shoes-pleasure-pain-final-hdr

          “Liberty in Fashion”. O Fashion and Textile Museum celebra os 140 anos da empresa expondo mais de 150 trajes, tecidos e objetos. A mostra se encerra em 28 de fevereiro de 2016 e os ingressos custam 9 libras.

          liberty-in-fashion-exhibition

          Compartilhe:
            Artimanha no desfile do Palácio das Artes, que depois virou Mabel Magalhães (reprodução)

            Artimanha no desfile do Palácio das Artes, que depois virou Mabel Magalhães (reprodução)

            Há 35 anos um grupo se criadores se reunia para dar vida ao Grupo Mineiro de Moda, que plantou a semente do colaborativismo, um conceito quase esquecido atualmente, para dar voz e visibilidade as a moda em um país que ainda tinha pouca ou quase nenhuma cultura de moda montando desfiles e outras ações conjuntas. Não é por acaso que o Minas Trend é um dos eventos de moda do Brasil que mais cresce e ganha os holofotes do mercado nacional.

            Para comemorar a data, o Centro de Referência da Moda, que fica na capital mineira, no dia 01 de novembro abre a exposição “Grupo Mineiro de Moda – Na Vanguarda dos Anos 80” com fotos, textos, cerca de 15 vídeos de desfiles e momentos da história do grupo, acessórios e 36 looks que nunca foram expostos depois de lançados. A mostra conta com depoimentos de 60 pessoas que faziam parte ou eram ligadas ao grupo. A curadoria é de Renato Loureiro, que foi um dos integrantes do GMM.

            Serviço:
            “Grupo Mineiro de Moda – Na Vanguarda dos Anos 80”

            De 01/09 a 20/12; de terça a sexta das 9h às 21h, sábado e domingo das 10h às 14h
            Centro de Referência da Moda: Rua Bahia, 1149, Centro, BH
            Tel: (31) 3277-4384
            Entrada gratuita

            Compartilhe:

              iris-apfel-2

              O EvelynB está olho nos recentes lançamentos quando se fala de moda e cinema. Contamos aqui sobre o filme “Advanced Style”; falamos da vida nada glamorosa dos modelos masculinos e agora é a vez de falarmos do ícone máximo quando o assunto é a “melhor idade”, Íris Apfel.

              O longa de Albert Maysles, “Iris”,  já começa a desfilar pelos cinemas nos Estados Unidos, que ao longo do mês promete invadir as salas de todo o país. O documentário mostra a rotina da senhora Apfel, uma das pessoas mais fascinantes da moda que, aos 93 anos, dá lições diárias não apenas sobre estilo, mas também sobre vida. Sua excentricidade, assim como sua sensibilidade, são captadas pelas lentes do diretor, que mergulha em sua vida e abre as portas de seu apartamento em Nova York, de seu closet único e absurdo e de sua mente sagaz.

              Iris nasceu no Queens, Nova York, e entrou na moda nos anos 1950, quando ela e seu marido Carl – que festejou 100 anos durante a filmagem – abriram a Old World Weavers, uma empresa de tecidos que chegou a ser contratada por nove presidentes americanos para restaurações da Casa Branca.

              Enquanto conversa e brinca com pessoas como Bruce Weber e Kanye West, Iris relembra momentos de sua vida, como quando Frieda Loehmann, fundadora da loja Loehmann’s, onde ela trabalhou como vendedora, disse: “Você não é bonita e você nunca será bonita, mas não importa porque você tem uma coisa muito melhor. Você tem estilo”.

              As opiniões sobre o longa foram muito diversas como a da editora Suzy Menkes que declarou ter rido e chorado com a história, assim como, outros disseram que com cara de “barato”. Mas certamente a força, a originalidade e o brilho de Iris já devem valer o ingresso (ou o download). Veja o trailer aqui.

              Compartilhe:
                O modelo Mark Reay, 56 anos, é protagonista do documentário Homme Less (imagem: reprodução)

                O modelo Mark Reay, 56 anos, é protagonista do documentário Homme Less (imagem: reprodução)

                Rosto de marcas como Versace, Moschino, Chanel e Missoni, o modelo Mark Reay, 56 anos, é protagonista do documentário “Homme Less”. O título do projeto é um trocadilho na língua inglesa com a palavra homeless – sem-teto, traduzindo para o português. Mesmo acumulando muitos trabalhos no mundo da moda e até mesmo na televisão (Mark teve um pequeno papel na primeira temporada de Sex and City e algumas participações em The Good Wife) e mesmo assim, ele nunca conseguiu renda suficiente para comprar a própria casa. “Eu só ganho R$ 10 mil dólares ao ano”, diz no trailer.

                O norte-americano vive no telhado do apartamento de um amigo em Nova York. Com o dinheiro que conseguiu em campanhas publicitárias, no entanto, o modelo ao menos adquiriu um bom plano de saúde e uma inscrição numa academia, onde mantém a forma.  Assista abaixo ao trailer e constate: o mundo da moda pode não conviver com o luxo.

                Sem Glamour

                Falando ainda do universo dos modelos masculinos, o jornalista e ex-modelo Pedro Andrade traz o documentário “Unglamorous – The Naked Truth About Male Models” (em tradução livre, “Sem Glamour – a verdade nua sobre os modelos masculinos”) sobre a vida e rotina dos “meninos da moda” que aparecem sob os holofotes das melhores passarelas internacionais, mas que têm uma rotina de vida nada glamourosa.

                O documentário foi produzido nos Estados Unidos nos últimos seis meses e conta com a participação de nomes como o supermodelo sueco Alex Lundqvist, o top americano RJ King – um dos principais da atualidade -, e Cameron Keesling, que mesmo estando na capa da “Vogue” Itália ainda mora em um pequeno trailer. A ideia do diretor é mostrar a desvalorização do mercado masculino comparado ao feminino: só para se ter uma ideia, em 2014, Gisele Bündchen faturou US$ 48 milhões, enquanto o modelo masculino mais bem pago fez US$ 1,8 milhão.

                O filme conta ainda a difícil realidade dos apartamentos em que vivem muitos desses modelos, que, mesmo estando nos mais disputados casting, desfiles, campanhas e outdoors pelo mundo, ainda vivem afogados em dívidas criadas nas agências e mal conseguem se sustentar.

                Compartilhe:
                  A versão Minion de Anna Wintour

                  A versão Minion de Anna Wintour (imagem: site Stylight)

                  Desde a sua estreia nas telonas, a animação Minions foi amarelando tudo e se tornou uma grande febre. Os personagens do filme “Meu Malvado Favorito”, arrecadaram uma soma de um pouco mais de 80 milhões de reais no país e um público acumulado de aproximadamente 5,7 milhões de espectadores. Depois de estampar as sandálias Havaianas, além de uma infinidade de roupas e acessórios, virar uma cor da Pantone, agora eles incorporam personalidades fashionistas numa sua versão em do site de moda “Stylight“, que criou “The Minionistas” a versão Minion de grandes nomes do planeta fashion como Anna Wintour, Karl Lagerfeld, Cara Delevingne, Vivienne Westwood, entre outros.

                  A versão Minion de Alexa Chung (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Alexa Chung (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Cara Delevigne (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Cara Delevigne (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Donatella Versace (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Donatella Versace (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Jean Paul Gaultier (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Jean Paul Gaultier (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Karl Lagerfeld (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Karl Lagerfeld (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Marc Jacobs (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Marc Jacobs (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Vivienne Westwood (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Vivienne Westwood (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Suzy Menkes (imagem: site Stylight)

                  A versão Minion de Suzy Menkes (imagem: site Stylight)

                  Compartilhe:
                    O cartaz do filme Advanced Style (foto:divulgação)

                    O cartaz do filme Advanced Style (foto:divulgação)

                    Durante a última edição do Festival do Rio, em 2014, um dos filmes que levou os fashionistas para os cinemas foi o “Advanced Style”, de Lina Plioplyte. O documentário inspirado no blog homônimo, de Ari Seth Cohen, foi filmado ao longo de três anos e financiado por meio de uma campanha na internet, começa justamente com o fundador explicando por que iniciou a página. O filme observa a intimidade de sete mulheres extremamente estilosas, com idades entre 62 e 95 anos, que vivem em Nova York. Filmado ao longo de três anos e financiado por meio de uma campanha de financiamento coletivo na internet, o documentário que tem 72 min, investiga as maneiras com que o estilo pessoal eclético e independente dessas senhoras cheias de cores e vida desafia as ideias convencionais sobre beleza e envelhecimento em uma sociedade obcecada pelo conceito de juventude.

                    As lentes de Ari só apontam para a terceira idade – e revelam que há senhorinhas com ideias excelentes, e uma liberdade invejável para montar looks com apurado senso de moda. Fica clara a alegria de não se vestir para ninguém além delas mesmas. Pelo simples prazer de se enfeitar e deixar “a vida te levar”.

                    O blog Advanced Style foi criado, em 2008 e ganhou notoriedade por fazer contraponto inesperado à cultura do streetstyle, em que só têm vez as jovens de corpos em dia, que posam andando (chiquérrimas) de bicicleta, ou “pulandinho” de salto alto. O sucesso foi tanto que o blog virou livro em 2012. E agora ensaia um sucesso no Netflix.

                    A bela velhice

                    Em 1970, quando escreveu o livro “A Velhice”, a escritora, filósofa existencialista e feminista francesa Simone de Beauvoir procurou refletir sobre a exclusão e a invisibilidade dos mais velhos. A antropóloga Mirian Goldenberg, em 2014, ao escrever seu livro “A Bela Velhice” levou em conta que o Brasil está se tornando um “país jovem de cabelos brancos”. E se perguntou: como lidar com essa nova realidade que é o início do protagonismo dos velhos?

                    A moda por sua essência tem o espírito do novo e da novidade, por isso, temos sempre a impressão de que esse mercado é destinado apenas aos jovens. Já dizia a sábia Coco Chanel , “moda passa, o estilo é eterno”. Vale pensar que estamos abrindo espaço no mercado para uma nova geração, os sexadolescentes. Então, você já parou para pensar em como vai se vestir quando tiver 60/ 70 anos?

                    Fashion Icon

                    Você por acaso já ouviu falar em Iris Apfel? A decoradora e ícone fashion é uma das grandes representantes desse movimento, não é por acaso que a norte-americana ganhou espaço sob os holofotes na última década graças a sua autenticidade e ao seu inconfundível estilo colorido. Entre 2005 e 2006, foi tema da exposição “Rara Avis: Selections from the Iris Barrel Apfel Collection”, que aconteceu no Metropolitan Museum; em 2007, apresentou peças de seu guarda-roupa para o livro “Rare Bird of Fashion: The Irreverent Iris Apfel”; em 2011, fechou parceria com a M.A.C para lançar uma coleção de maquiagem; em 2013 foi a vez de uma linha de óculos em colaboração com a marca Eyebobs.

                    Algumas integrantes do fashion film Advanced Style (imagem: reprodução)

                    Algumas integrantes do fashion film Advanced Style (imagem: reprodução)

                    Compartilhe: